Neste meu espaço aberto, está exposto um livro incompleto......

05
Nov 09

 

Agora nesta casa vazia eu oiço o som dos teus passos
 
É noite, é noite cerrada em mim
Sem ti no vazio deste lugar que sou
Nesta escuridão que parece não ter fim
Eu oiço o som dos teus passos
Onde agora apenas o som do silêncio ecoa
Teus sorrisos e amuos sempre levaram cansaços
Elevavam-se as vozes e gargalhadas mesmo à toa
E queria poder sorrir de manhã
Ao ver o teu rosto
E ao ver-te escolher o que vais vestir
E sorrir ao dizer que estás fixe
E à tarde deixar tudo para te levar e trazer do parque
Agora no silêncio, sinto a saudade de te ouvir
No quarto a teclar e falar com os teus amigos
E queria deixar de falar-te alto
Quando te demoras a pentear e arranjar
E queria não me preocupar
Com o que fores quando cresceres
E ao deitar poder abraçar-te e fazer-te sentir quanto te amo
E deixar-te ficar acordado até que o sono te vença
E quero ser grato a Deus
Por me ter dado tesouros como tu
Meu filho pequeno
publicado por noitesemfim às 10:47
sinto-me:

20
Out 09

 

É noite
Meu domínio, meu campo de batalha
E nele eu vou chegar,
Quando esta for calada
Chegarei nos braços do vento do sul
Que transporta o calor das terras quentes
Como o meu coração
E o calor que dele emana
Há-de aquecer as noites longas e frias da minha ausência
Assim tu quiseras ser a braseira
Onde arderá este pobre coração cansado
Das eternas viagens em noites sós
 
É madrugada
Agora vou, preciso correr para os braços de morfeu,
Lugar único onde ainda descanso
Quando estou longe do teu regaço
Esse regaço que foi na noite o meu lar
Um lar de excelsa brancura e brilho eterno
Um universo de mil galáxias,
Estrelas e mundos que ainda não descobri
Por dia ainda não ser tempo
 
É dia
Reconheço agora nesta luz
Que cada momento em ti
Foi a certeza de descobertas mil
Maravilhas inexploradas e jamais divulgadas
Egoísmo o meu que as quero guardar
No meu coração quente como o vento do sul
Mas não, não estou mais triste
Porque seja noite, madrugada ou dia
Unem-se nossos tempos num só
publicado por noitesemfim às 00:52

10
Set 09

 

Falemos de uma coisa então
Ou falemos de muitas outras
Mas quero perguntar-te isto:
As lágrimas?
 
Deixa-as correr apenas quando eu estiver presente
O meu olhar secá-las-à
E se o olhar não conseguir
Então os meus lábios serão como as areias do deserto
E hão-de bebê-las
Por isso não chores na minha ausência
 
Outra coisa ainda
Quando deslizas para o sono
Sinto-me um rochedo onde bate o mar
No entanto sou nada, apenas Deus quer que assim seja
Sentir a tua respiração pausada
Até deixares o teu corpo nos meus braços ao abandono
E eu fico em contemplação sentindo a tua "paz"
Como se fosse minha ou então
Como se menino fosse em regaço de ama
 
Apenas uma coisa mais
Sinto muito se isso te deixa triste
Mas dá-me prazer ter-te aberto a vida
E é com amor e coração nas mãos que te digo isso
Sim, desejo que sejas feliz
 
Não, por ora não há mais a dizer
Deixemos falar os olhos
Deles fluirá a sensibilidade
Aquela que não é possível descrever

Sim essa mesma

A de um beijo


01
Ago 09

 

Deixa-me
Deixa-me olhar-te apenas
Que me importam os outros
Quero ver no profundo mar dos teus olhos
Que sempre quis navegar
E sem loucura sentir
A minha alma evoluir
Elevar-se e subir no ar
Chegar em alturas impensáveis
E subitamente descer
Sobre o teu corpo e ai ficar
Ou para sempre morrer

28
Jul 09

 

 

 

 

 

Apenas palavras vindas do íntimo

 
Sei que é na tua mão que está o gesto, que mesmo à distância me acalma.
Quando te peço que invadas o meu espaço, compreendo os teus receios que eu invada os teus, mas mesmo assim prefiro o toque suave de uma voz ao silêncio da solidão.
A tua apreensão é fundamentada em convicções e sinto que travas uma luta interior quando estas são, ainda que ligeiramente abaladas mas as convicções existem para serem abaladas e substituídas até.
Eu, tenho um espaço permissivo, que precisa ser preenchido e se tiver que me habituar à solidão, certamente será mais um exercício de resistência que me vou impor.
Terei que construir um mundo só meu e divagar por entre as minhas coisas. É como que deixar por algum tempo de sentir o pulsar a vida.
Encetar um processo de abafar sentimentos e deixar de agarrar os que me dizem algo, não será fácil.
Mas eu sou eu e tu és tu, com as nossas diferenças, daí que eu não goste da solidão e tu gostes e não estabeleço comparações, é apenas uma questão de sentir.
A cada um de nós cabe saber como gerir-se mas quando os sinos tocarem deve haver sintonia, caso contrário quando estes tocam a rebate o outro está a ouvir as matinas.
Havendo inúmeras coisas que desconhecemos dentro de nós próprios, descobrimos que tomamos atitudes das quais nos arrependemos mais à frente e interrogamo-nos se fomos guiados pela mão de Deus ou do Diabo?
Escolhe cada um o que mais lhe apraz, é próprio do ser humano assim ser.

Estas são palavras que o vento há-de levar para onde o meu amor se encontrar.
publicado por noitesemfim às 00:32

Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


mais sobre mim
blogs SAPO
pesquisar
 

View My Stats