Neste meu espaço aberto, está exposto um livro incompleto......

04
Jul 09

Aqui  está-se sossegado

Longe do mundo e da vida

Cheio de nao ter passado

Até o futuro se olvida

Aqui está-se sossegado

 

Tinha os gestos inocentes

Seus olhos riam no fundo

Mas invisiveis serpentes

Faziam-na ser do mundo

Tinha os gestos inocentes

 

Aqui tudo é paz e mar

que longe a avista se perde

Na solidão a tornar

Em sombra o azul que é verde

Aqui tudo é paz e mar

 

Sim, poderia ter sido

mas vontade nem razão

O mundo tem coduzido

A prazer ou conclusão

Sim, poderia ter sido

 

Agora não esqueço e sonho

Fecho os olhos, oiço o mar

E de ouvi-lo bem, suponho

Que veio azul a esverdear

Agora não esqueço o sonho

 

Não foi propósito, não

O seus gesos inocentes

Tocavam no coração

Como invisiveis serpentes

Não foi propósito, não

 

Durmo desperto e sózinho

Que tem sido a minha vida?

Velas de inútil moinho

Um movimento sem lida

Durmo desperto e sózinho

 

Nada explica nem consola

Tudo está certo depois

Mas a dor que nos desola

De um não serem dois

Nada explica nem consola

 

 

Fernando Pessoa - Poemas Inéditos

 

 

 

  

 

publicado por noitesemfim às 18:40

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

13

19
21
24
25

30


mais sobre mim
blogs SAPO
pesquisar
 
subscrever feeds