Neste meu espaço aberto, está exposto um livro incompleto......

05
Fev 10

 

Eu...
Abandonei-me ao vento e amei
Fixei meu olhar no horizonte e vi
A minha felicidade, desfraldada numa imagem
E ali, abandonado ao vento reneguei
Apenas ser o resto de uma ilusão
Em desmesurada ambição da liberdade
Vão-se perdendo rumos ou destinos ou vidas
Sendo as grilhetas a mais valia ou paga
Porque num ápice esmorecem as cores
Que nortearam a esperança ou breve felicidade.

Eu…
Abandonei-me ao vento e amei
Já não posso esquecer quem sou
Nem sonhar ser ave perdida no espaço
Calco meus pés na areia
E vinco os meus passos fortes
Enterrei minha sede de saber
Onde estava e de quem era a vida
E do abandono resurge a certeza  
Vivo ?...Morro ?.
Mas um dia talvez eu descubra

O paradeiro da insensatez, que foi guia

Um dia

publicado por noitesemfim às 16:27

joão,

"Não vale a pena chorar sobre leite derramado..."
A ilusão leva-nos a cometer erros que se nos afiguram frequentemente irreparáveis mas, a vida continua...

Beijo
Margarida
MIGUXA a 5 de Fevereiro de 2010 às 19:04

E quem chora minha amiga, quem? Depois de seca a fonte só o tempo fará reviver a nascente.
Uma lágrima a correr pela face nem sempre será mágoa.
Obrigado pela tua amizade.

Um beijo,
João
noitesemfim a 9 de Fevereiro de 2010 às 17:28

Mas tu és um POETA João, descreves sentimentos com uma riqueza e uma beleza de palavras que sempre me deixas encantada. Escreves com muita alma, é belo tudo que tenho lido e
te fico grata por partilhares. Mesmo com pouco tempo nunca deixareide vir ler a tua boa
poesia.
Hoje sou a primeira, e fico feliz por te poder dizer tudo o que sinto ao ler-te.

Desejo um bom fim de semana
beijinho
da natália
rosafogo a 5 de Fevereiro de 2010 às 23:37

Natália, minha cara amiga e leitora desde já te agardeço o tempo que me dispensas.
Informo-te ainda assim de que não sou poeta ou se o sou não sei.
Se a composição das palavras depois de escritas se tornam num poema tanto me faz pois apenas tenho a certeza de que escorrem de mim para o teclado.
Continuo a passar por ti, pelos teus textos e como sempre acho-os belos.
Um beijo
João
noitesemfim a 9 de Fevereiro de 2010 às 17:35

A melhor razão para nos perdermos é saber que nos vamos ENCONTRAR
E que nesse encontro, reencontro, com o mais profundo que existe em nós
A única certeza, é que saímos mais fortes e mais seguros,
Sabemos, depois, os porquês, e o tempo torna-se conselheiro para o futuro
Finalmente, a começar em nós, somos capazes de, com todo o coração, AMAR...
Fernanda a 7 de Fevereiro de 2010 às 21:50

Obrigado pela tua passagem.

João
noitesemfim a 9 de Fevereiro de 2010 às 11:34

Deixo-te a liberdade, até encontrares o teu rumo...precisas de ter certeza do que te move...nunca te esqueças... SÊ.

Maria L. Santos
Anónimo a 7 de Fevereiro de 2010 às 23:51

E eu SEREI sempre como SOU.
Sou como o vento cálido do sul?
E nele aqueço a alma
Sou como o vento gélido do norte?
E acendo a lareira do meu corpo
E sou livre como o vento.

Um beijo

João
noitesemfim a 9 de Fevereiro de 2010 às 11:32

E o que é a vida sem um pouco de insensatez?
Marta a 10 de Fevereiro de 2010 às 10:26

Sem insensatez, sem loucura e sem amor a vida é pouco.

noitesemfim a 1 de Março de 2010 às 14:39

Eu estou a voltar lentamente...

Por razões de saúde me fui, mas estou a voltar, a tentar reatar meus laços.

Não sei se é possível fazer, mas estou a tentar!

Não chores tua vida
não chores a insensatez perdida
e reencontra-te, algures, onde quiseres
e volta
para junto de ti.

lembraste de mim?

Mª. Luísa
M.Luísa Adães a 20 de Fevereiro de 2010 às 18:15

OLá Maria Luisa, estranhei a tua ausência sim!
Fico um pouco mais feliz por saber que estás de volta.
Há laços que nem a morte pode quebrar.
Fica bem minha amiga.

João

Obrigada João pela tua ternura.

Beijos,

Mª. Luísa

Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28


mais sobre mim
blogs SAPO
pesquisar