Neste meu espaço aberto, está exposto um livro incompleto......

16
Out 09

 

Vem, sim vem
Encosta-te no meu peito
E conta-me
Conta-me os meus segredos
Os segredos sempre revelados
No espelho azul dos meus olhos
Esse azul a que chamaste mar
Onde sempre te deleitas-te
Em sonhos, disseste tu.
Eu, eu acalmo a respiração
E embalar-te-ei em palavras.
Palavras minhas, de dentro deste mar
Dizendo-te assim:
“É dentro de mim que tu moras”
E ao dizer-te "Amo-te”, significa
Ouvires-me dizer
Para toda minha eternidade
Nos teus gestos,
No teu sorriso,
Na tua voz,
Nas tuas lágrimas mesmo
E sempre que te volte a dizer “Amo-te”, significa
Amo-te naquilo que és!
Sim, é em tudo
No ar que respiras ou simplesmente
Sempre que um pássaro cante,
Ao alvorecer ou ao crepúsculo,
Sempre que tempestade se levante
Ou mesmo que a luz do mundo se acabe,
Encosta-te no meu peito
Revela-me os meus segredos
Porque
“É dentro de mim que tu moras”
publicado por noitesemfim às 16:34

Meu bom amigo,
Li e gostei muito deste poema em que o sentimento e o amor é uma constante no teu poema. É bonito " Os segredos sempre revelados... É um prazer ler o que tão bem escreves.
Um grande abraço e bom fim de semana,
Carlos
umbreveolhar a 17 de Outubro de 2009 às 16:45

Caro amigo obrigado pela tua passagem.
Um excelente fim de semana para ti também.

Um abraço,

João
noitesemfim a 17 de Outubro de 2009 às 22:48

Gostei. Quando a alma se abre, os segredos saem e fica espaço para receber e perceber os mais puros sentimentos...De vez em quando, precisamos de fazer o dia do coração aberto....Tantas surpresas que iríamos ter...
Adorei este pedacinho que partilhaste connosco. Continua a deixar sair segredos e a entrar o que de bom estiver por perto!!!!
parabéns
Fernanda
Fernanda a 17 de Outubro de 2009 às 22:07

Minha cara Fernanda certamente seria um dia de enormes surpresas esse, o dia do coração aberto. De alguns veriamos "sair" sorrisos, amor e tristeza até.
Porém, minha cara, doutros jorraria a amargura e sentimentos menos belos e a esses teríamos que "deitar a mão" e desassombrá-los mesmo.

Obrigado pela tua visita
noitesemfim a 17 de Outubro de 2009 às 22:55

Normal, seria não termos segredos. Mas, sendo os segredos o reflexo da nossa imperfeição, é natural que construamos refúgios onde guardemos os pergaminhos das nossas virtudes e defeitos, dos olhos inquisidores do mundo,o olhar é sempre o mais bela porta da alma, o olhar difícilmente nos engana...
Lindo o teu poema e parabéns por trazeres contigo tão puro olhar.
Um texto, maravilhoso para um fabricante de sonhos como tu.


Magnifico.

Luísa
Anónimo a 17 de Outubro de 2009 às 23:24

Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

21
22
23

26
27
28
30
31


mais sobre mim
blogs SAPO
pesquisar
 

View My Stats