Neste meu espaço aberto, está exposto um livro incompleto......

07
Dez 09

 

Nasce o dia e o dia morre
Porque o tempo é coisa viva
Igual ao vento que corre
Por esse mundo à deriva
 
De onde é que veio o tempo?
Pra onde é que o tempo vai?
Quem é que lhe deu o seio?
Quem é que foi o seu pai?
 
Neste mundo encantador
Existe tudo aos montões
Corre a vida e o amor
Entre montes de ilusões
 
Tudo o tempo vai trazendo
Tudo em seguida levando
Tudo novo concedendo
Tudo velhinho roubando
 
Novinho é que fui trazido
À ventura não sei de onde
Gastinho serei escondido
Aonde o tempo se esconde
 
Antes de mim veio alguém
Depois de mim virão mais
Que se hão-de esconder também
Nos tempos ditos finais
 
O tempo é uma rotina
Solstícios e equinócios
Este mundo uma cantina
Uma casa de negócios
 
Tudo dá e leva dado
O que traz torna a tirar
Quando eu estiver aviado
Já sei que me vai levar
 
Porque a foice roçadora
Tem a folha sempre pronta
Onde quer a bomba estoira
Porque o tempo fez a conta
 
E como tudo surgiu
Antes de ao mundo eu chegar
A tempo tudo partiu
Eu não posso cá ficar
 
(Poetas da minha terra - Manuel Carrajola)
 
 
 
publicado por noitesemfim às 10:03

Dezembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
14
16
17
18
19

20
21
22
23
25
26

27
28
29
30


mais sobre mim
blogs SAPO
pesquisar
 
subscrever feeds