Neste meu espaço aberto, está exposto um livro incompleto......

02
Set 10

 

Sabes, apetece-me escrever-te!

Mas as palavras não saem, não as consigo fazer escorrer pelos dedos para o teclado.

Estão na minha mente às voltas como se estivessem a ser atiradas de um lado para o outro pela força destruidora de um tornado.

É por isso que as não consigo alinhar, é por isso e pela tua ausência.

Sei que na tua presença me acalmo e as palavras alinham-se e os meus dedos já não correm para as teclas.

Hão-de correr para ti, para as tuas mãos, para a tua face e hei-de envolver-te no meu olhar. Sei que é ele o que primeiro vais desejar, o meu olhar, tal como ele deseja o teu em primeiro lugar.

São eles, os nossos olhares que, como desde o primeiro dia se vão envolver e amar.

Só depois dos olhares se amarem o desejo nos vai invadir. Sabemos isso ambos.

Vai ser como ter tudo e não poder ter nada, nada mesmo. O tempo que quero passe lento quando te olhar e que desesperadamente queria agora que voasse, vai ser tão rápido então, que pressinto já, e ainda não chegaste, vai então voar à velocidades da luz. Por isso é nos olhares que faremos perdurar as imagens e sensações que serão partilhadas. Essa partilha vai ser complexa e simples.

Complexa porque eu quero ver nos teu olhos o prazer que sentes quando olhares isto ou aquilo e simples porque vais olhar as coisas pelos meus olhos, como sempre fizemos.

Mas as palavras não se alinham na tua ausência. Na tua ausência adivinho o quereres estar aqui junto de mim para que possas sentir-me e eu beber as teus menores gesto enfado, os teus suspiros os teus  simples desejos, que quero meus para adivinhar e satisfazer. Assim vai  ser de mim para ti de ti para mim, ambos sabemos.

E vão as noites para ti ser frias e para mim de sufoco, e frias também. A contradição reside sempre na distância, que tão escassa é depois de chegares, mas quase intransponível.

Mas os olhares, esses vão-se amar e as palavras calar-se-ão e  de manhã estarão alinhadas lado a lado.

Vem depressa, quero olhar-te!

 


publicado por noitesemfim às 23:18
tags:

Tive sorte com o esplendido texto que encontrei, também hoje me deu
vontade de te escrever umas simples palavrinhas, para te pedir desculpa pela
ausência, sabes amigo voei para outras paragens, onde também me sinto bem
mas cansada, agora fiz um interregno. Já tinha saudades dos amigos, alguns perdi de vez
mas a vida é assim uns se perdemoutros se ganham e há os que prevalecem teimosamente
como tu e como eu, e por isso mais vale tarde que nunca, aqui estou para te agradecer a visita.
Obrigado amigo.
Continuas a escrever maravilhosamente e é um gosto, ainda vou ler um pouquinho mais
atrás.
Beijo com meu carinho João, fica bem.

rosafogo
rosafogo a 3 de Outubro de 2010 às 16:15

Olá João,

Passei para te deixar um enorme abraço.

Margarida
MIGUXA a 8 de Outubro de 2010 às 17:51

Sente-se um abraço amigo que nos conforta o coração
noitesemfim a 25 de Outubro de 2010 às 19:50

existem palavras tão fortes que tocam :-)
beijinhos
Marta a 12 de Outubro de 2010 às 16:18

João,

Venho deixar um beijinho e deixar votos de Feliz Natal e óptimo e feliz ano 2011.

Tudo de bom
Caminhando... a 23 de Dezembro de 2010 às 22:53

Nunça esqueço a nossa Amizade virtual! Sou fiel às Amizades.

Desejo que tenhas um Natal Feliz assim como para a Família.

Retomei o ritmo dos Blogs e por isso voltarei brevemente com a Amizade de sempre!

Que o Novo Ano te traga a realização de todos os teus desejos.

Saudações Natalícias,
Carlos Alberto Borges

Estou no Facebook também: Carlos Alberto Borges Araújo

umbreveolhar a 24 de Dezembro de 2010 às 16:16

Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


mais sobre mim
blogs SAPO
pesquisar
 

View My Stats